Maiella no verão

Maiella

O majestoso Parque Nacional Majella foi criada em 1991 e ocupa uma área total de cerca de 74.000 hectares, incorporando 39 comum pertencentes às províncias de L'Aquila, Pescara e Chieti.

Perdendo apenas para o Gran Sasso, o maciço montanhoso Majella é o mais alto dos Apeninos continentais. O pico mais alto é alcançado pelo Monte Amaro com 2793 metros, seguido pelo Monte Acquaviva com 2737 metros, e pelo Monte Focalone que atinge 2676 metros.

É possível acessar o Parque Nacional de diferentes direções: do norte passando por Lettomanopello, Guardiagrele do leste, Sulmona do oeste e Pescocostanzo do sul.

O Parque Nacional Majella é também famoso pela rica biodiversidade que alberga: existe, de facto, uma fauna muito rica e variada que inclui camurças, veados, lobos, lontras, corços, gatos selvagens, mas também águias-reais e alguns exemplares de Urso marsico. .

Uma peculiaridade do Parque é constituída pela fenômeno cárstico: ao longo dos milênios, a água que flui sobre as rochas calcárias molda sua estrutura, criando fraturas naturais. Esses são deuses cavernas fascinantes com estalactites e estalagmites espalhadas por todo o território Majella.

Ofertas vantajosas em Val Gardena

Descubra as melhores ofertas para passar umas férias de verão inesquecíveis nas Dolomitas de Val Gardena, com pacotes de férias a preços vantajosos em hotéis e apartamentos em Ortisei, Santa Cristina e Selva di Val Gardena

Chalé nas Dolomitas

Descubra as melhores ofertas para passar as férias de verão nos melhores chalés e cabanas alpinas das Dolomitas, as melhores estruturas imersas no coração das Dolomitas com um típico estilo alpino

adv

Outra peculiaridade é a presença de inúmeras ermidas na área, muitas vezes construídas em locais inacessíveis nas montanhas, ou no topo dos próprios picos.

Visitar este majestoso Parque Nacional durante o verão é ideal para testemunhar a despertar da natureza, e desfrutar ao máximo das paisagens serranas praticando caminhadas, passeios a cavalo ou BTT, ou ainda praticando desportos radicais como canyoning, rafting e escalada desportiva.

Quanto às caminhadas, há mais de 120 caminhos que atravessam o território Majella, todos bem marcados e com diferentes níveis de dificuldade dependendo da inclinação e da morfologia do terreno.

Para aqueles que querem se aventurar em uma rota de trekking mais longa, foram estudados quatro roteiros temáticos principais: O Spirit Trail (73 km), o Freedom Trail (31 km dividido em duas partes), o Park Trail (83 km, o mais longo) e o Stone Huts Trail (27 km).

sobre cavalgando, existem 27 caminhos dispostos em diferentes áreas do Parque, que permitem a quem os percorre admirar todas as maravilhas.

Para os entusiastas é possível praticar escalada esportiva especialmente em Pennapiedimonte e Roccamorice, locais com paredes desafiadoras, mas estimulantes.

O Canyoning pode ser praticado na área de Abbateggio e Roccamorice, nas Gargantas de Guardiagrele e Cusano, meandros perfeitos para dar vazão à sua paixão.

Por fim, para os amantes das hidrovias, é ideal ir até a área de Civitella Messer Raimondo, onde são praticados esportes de adrenalina, como rafting e caiaque.

As possibilidades de estadia para quem decide passar as férias no Parque Nacional Majella são realmente numerosas e adequadas a qualquer tipo de necessidade. No território do Parque, de facto, existem bed & breakfast, hotéis, casas de férias para alugar, hostels, quintas, quintas, parques de campismo, mas também pensões e cabanas de montanha espalhados entre os picos mais inacessíveis ou ao longo dos caminhos.

O que fazer e o que ver

Dependendo do tempo disponível para visitar o Parque Nacional Majella, é possível programar diferentes roteiros para admirar sua beleza, considerando também o tipo de atividade que deseja realizar.

Para se perder na natureza mais encantada entre riachos, matas e cânions, o Vale de Orta representa um dos espetáculos mais deslumbrantes do Parque Majella, uma parada diária a ser levada em consideração.

Esta área leva o nome do rio que a atravessa, ele próprio um afluente do rio Pescara, que por sua vez desagua no Mar Adriático. Esta reserva natural inclui paisagens majestosas e vários pontos de interesse, como as grutas cársticas, a cascata da Cisterna com a sua límpida piscina natural, a cânions cársticos também chamado de "luchi" ou "marmitte", e as corredeiras de Santa Lúcia.

A área é particularmente rica em cavernas habitadas pelo homem durante a era pré-histórica e, portanto, representam uma atração turística interessante, especialmente graças à presença de pinturas rupestres e outros achados neolíticos. Entre as principais cavernas do vale está a Caverna escura, que como o nome sugere, é caracterizada por uma baixa luminosidade que permitiu o assentamento de algumas colônias de morcegos. Pode ser alcançado a pé a partir do centro de Bolognano e oferece um panorama inimitável. Basta seguir o caminho marcado para se encontrar em frente ao majestoso arco: se equipado com uma tocha, é possível atravessá-lo. Há também uma abertura lateral com vista para o vale, uma espécie de terraço-mirante natural de onde se pode desfrutar de um panorama único.

Outra das etapas imperdíveis do Vale do Orta é a visita ao Cachoeira da Cisterna, cujo nome deriva do fato de que a água forma uma maravilhosa piscina natural, que abriga samambaias, musgos e outras espécies animais e vegetais muito raras. O caminho para chegar a esta maravilha natural é um pouco mais difícil do que para chegar às grutas, mas ainda está ao alcance de todos.
Para admirá-lo de cima, basta ir até a praça central de Bolognano e continuar pela Fonte Orcina. Se até alguns anos atrás era possível tomar banho na piscina natural, hoje em dia há uma proibição absoluta de banho para preservar o delicado ecossistema que a caracteriza.

Mesmo o corredeiras de Santa Lúcia devem ser considerados na lista de coisas para ver. A força da água esculpiu ravinas caracterizadas por um caminho sinuoso, comparável a uma espécie de parque aquático natural, destino ideal para quem quer praticar rafting. As corredeiras podem ser alcançadas de Musellaro ou de San Tommaso seguindo os caminhos apropriados.

em Parque Nacional Majella também é possível definir para longas rotas em grandes altitudes. O itinerários acima de 2000 metros são na maioria dos casos um pouco mais longos e inacessíveis, mas o esforço é recompensado pela majestade das vistas que podem ser admiradas lá de cima.

Há uma alternância entre cascalhos imponentes e planaltos sem limites repletos de dolinas cársticas, uma paisagem rochosa onde é possível ver a famosa camurça de Abruzzo.

Entre os roteiros mais cênicos há os que atravessam o Monte Amaro, o mais alto, o Monte Acquaviva, o Monte Focalone e o cume do Murelle, sem esquecer o maciço de Morrone.

Majella e Morrone não são montanhas particularmente famosas para abrigos para viajantes e caminhantes, com a única exceção do Refúgio Vittorio Emanuele II, que foi construído em 1890 pelo CAI de Roma no alto do Monte Amaro. A maioria dos abrigos presentes nestes picos derivam de construções necessárias para abrigar os pastores, mas que só recentemente foram reavaliadas para fins turísticos. Por isso, é sempre possível alojar-se nestas construções simples ao longo do percurso de caminhadas de grande altitude, sem esquecer de verificar previamente a disponibilidade.

Férias de verão em Maiella

O Parque Nacional Majella é um destino turístico bastante versátil, dada a grande variedade de experiências, vistas, belezas naturais e aldeias que oferece.

Dependendo do tipo de estadia que você deseja fazer, você pode ficar neste maravilhoso recanto de Abruzzo para um fim de semana curto, mas intenso, ou levar mais tempo para descobrir cada recanto. O parque, aliás, está repleto de várias aldeias medievais espalhadas entre as rochas.

Entre os mais característicos, lembramos San Valentino em Abruzzo Citiori, Pettorano sul Gizio, Serramonacesca, Pennapiedimonte e Caramanico Terme.

Uma estadia prolongada numa destas joias cravadas ao longo do tempo permite vivenciar em primeira mão a vida da aldeia e, ao mesmo tempo, representar um ponto estratégico para chegar a outros locais do Parque, como trilhos pedestres, ermidas, lagos e grutas.

Mas o parque também é o destino ideal para passar um fim de semana simples na natureza: basta escolher antecipadamente o caminho que melhor se adapta às suas necessidades e partir com a mochila e as botas de caminhada.

Certamente não faltam instalações hoteleiras prontas para receber os turistas que passam pelo Parque Nacional Majella. De acordo com as suas preferências, é possível alojar-se em quintas, casas de campo ou refúgios para uma experiência mais tranquila e sossegada, ou optar por hotéis localizados em centros habitados, muitos dos quais com vista panorâmica graças à conformação morfológica das rochas que as pequenas aldeias.

Maiella férias de verão

Se você está pensando em passar férias de verão em Maiella, abaixo você pode encontrar links úteis para encontrar hotéis e apartamentos de férias.

Obtenha as melhores ofertas de verão

Obtenha as melhores ofertas para férias de montanha no verão, em Hotéis, Bed and Breakfast ou Apartamentos de Férias

    E-mail

    Nome e Sobrenome

    Onde você quer ir? (destino favorito)



    Dados e revisão Maiella no verão

    Região: Abruzzo
    Altitude mínima:1200m de altitude
    Altitude máxima: 2700m de altitude
    Opiniões de Maiella: 0 comentários sobre Maiella

    Maiella vota no verão

    Marca: 3.56 su 5 - 1488 eleitores
    1 estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas
    Carregando ...

    Outros locais recomendados

    Escreva um comentário sobre Maiella

    Existem 0 Comentários sobre Maiella no verão

    Escreva sua própria avaliação sobre Maiella

    Encontre ofertas de verão

    As melhores ofertas nas montanhas no verão, em hotéis, pousadas ou apartamentos de férias

      Onde você quer ir nas férias?